terça-feira, 6 de agosto de 2013

Ser mãe solteira



Desde sempre eu sonhava em ser mãe, mas eu sempre tive tanto relacionamento loser, que falava aos 4 ventos que se eu não encontrasse um bom marido, teria um filho por produção independente.Simples assim.

Aí um dia encontrei o cara que sempre sonhei, casei e engravidei. Fiquei muito feliz porque além do filho que eu sonhava, ainda consegui o "bônus" de ser com um homem que eu realmente amava muito.

Conforme Theo foi crescendo, se desenvolvendo, eu fui desenvolvendo meu conceito família e pensando que pena seria uma criança de produção independente, pois não há nada mais lindo do que uma criança feita de amor e feliz daquele que tem essa sorte.

E eu que estava toda feliz, toda serelepe pimpona achando que no quesito amor e família eu tinha dado sorte na vida, descobri que a realidade era outra. Ele errou, eu descobri, chorei uma noite inteira, tomei coragem e me separei no dia seguinte.Errar é humano, perdoar é divino e não, não sou Deus, assumo: ainda não evoluí o bastante para perdoar.

Assim, descobri e venho descobrindo que o maior desafio das mães solteiras não é a falta de um companheiro, como eu imaginava quando via as mães solteiras. As maiores dificuldades que tenho como mãe solo são outras.

1) Me culpo.

Sim! Mãe e sua terrível mania de se culpar até pelo erro dos outros, mas é verdade. Tem dias que me culpo por não ter aceitado o erro do meu ex marido, engolido a seco e seguido a vida fingindo estar feliz, porque se eu conseguisse isso, tudo seria mais fácil, mas não...sou osso duro de roer, como dizem por aí. Terminei meu relacionamento na velocidade da luz e sem pensar 2 vezes.

2) Sofro pelo meu filho.

Eu sofri pelo fim do meu relacionamento uma semana, chorei litros, emagreci, fiquei com diarreia, vomitei e me levantava da cama pela manhã só por obrigação.E sobrevivi. Como mulher sofri uma semana, como mãe sofro todos os dias ainda.Porque me rasga o coração quando vejo a alegria que Theo fica quando está com o pai, por poucas horas que seja, porque ele não terá mais o pai convivendo com ele, pois para mim há uma diferença enoooorme do pai que esta presente no dia a dia, conta histórias, toma café junto,busca na escola, pergunta como foi o dia e o pai de fim de semana. Para mim, por mais que a criança veja o pai, é bem diferente após a separação. Muda tudo. E sofro porque não sonhei pro meu filho um pai de fim de semana, sonhei um pai de dia a dia e acho que meu filho não merecia isso, nem o filho de ninguém.

3) Ter que ser mais rígida, obrigatoriamente.

Confesso que nunca fui firme, sempre fui bunda e Theo sapateava na minha cabeça e meu objetivo era deixar a rigidez para o pai. Eu seria a policial boa e o pai o policial rígido.Me fu, pois hoje não posso passar a peteca da rigidez para ninguém, em casa agora sou eu e mais eu e apenas eu e aí fiquei mais firme e menos tolerante, afinal, pai de fim de semana não tá todo dia educando e a educação agora é 100% comigo e eu não posso mais deixar Theo sapatear na minha cabeça como antes. Isso me incomoda porque não faço o tipo rígida, sou mole, daquela que grita, dá esporro, põe de castigo e vai chorar no banheiro porque na verdade não queria tá fazendo nada daquilo.

4) Não ter com quem dividir as conquistas do filho.

Não posso ligar pro pai do Theo cada vez que ele fizer uma gracinha bonitinha ou falar uma palavra nova como eu fazia antes. Agora eu comemoro sozinha, rio sozinha e guardo pra mim, sem ter com quem dividir. E isso é ruim pra caraca.

5) Tá. A parte prática também é complicadinha, porém menos que a parte emocional.

Na parte prática eu nunca mais soube o que é tomar um banho tranquilo a noite quando tinha mais alguém em casa para olhar Theo. Meus banhos são rápidos e é só eu abrir o chuveiro que escuto choros imaginários e desligo e corro molhada pro quarto e Theo dorme super bem. Ou seja, se até choro imaginário escuto a coisa tá feia...Outro dia tomei banho e coloquei a mesma roupa suja, a mesma calcinha suja e fui dormir. No dia seguinte que percebi o que fiz, quando vi a roupa limpinha separada...

6) Medo do meu futuro amoroso.

Claro que eu pretendo ter um novo relacionamento no futuro, mas se eu já era seletiva e chata, agora piorou, pois para trazer uma pessoa para minha vida, significará trazer uma pessoa para vida do meu filho e esse mundo tá cheio de gente estranha. Como confiar em alguém? Morrerei solteira? Ficarei pra titia? Tenso.Porque beleza eu tenho e oportunidades também, mas tendo filho o assunto fica muito sério, não é qualquer pessoa. Como saber?

Enfim, vamos nos acostumando a nova rotina, pouco a pouco, dia a dia, com força e fé.



23 comentários:

  1. Ai amiga, ser mãe solteira não é fácil não né?! Deus te abençoe. Aposto que você será bem feliz ainda!!!
    http://principecaioandre.blogspot.com.br/2013/08/nao-caio.html

    ResponderExcluir
  2. Puxa Thatá... Imagino a barra pela qual vc está passando... Mas não nos abandone... queremos fazer parte da sua vida e do Theo... estamos sentindo sua falta lá no grupo... Fique bem... Ana Carol..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana Carolina!

      Tb sinto falta de vcs, tive que tirar meu face por motivos pessoais mesmo, devido ao momento que estou passando, mas está tudo sob controle e espero em breve voltar pro face e pro grupo.

      Qq coisa a Joana tem meu e-mail e podem me escrever quando quiser.

      Beijo em todas vcs, obrigada por tudo!

      Excluir
  3. Imagino que não deva ser fácil mesmo esta nova fase, mas nada como um dia após o outro, e tudo ficará menos difícil. Sabe que qualquer coisa pode contar com nós, mamães de agosto.
    Bjus da Alessandra e Sophia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ale!! Obrigada pelas palavras, eu estou bem, Theo tb, estamos nos adaptando ainda a nova fase e sei q posso contar com vcs!
      Beijos para vc e para Sophia!! :)

      Excluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  5. E, assim como você, sempre fui um homem que sonhou em ter a mulher dos seus sonhos, dela ser como você é, dela pensar como você pensa, dela reagir e crer naquilo que você age.

    Esta mulher, seria uma cópia minha, uma versão de um humano que sonha, querendo que realize. Você sabe, também te falei que quando jovem eu queria ter tido um filho de maneira independente, não conseguia, faltava a mulher ideal...que o destino me fez conhecer, a dona deste blog, a mulher que eu tatuei em meu corpo, a mulher que me fez desistir de olhar para qualquer outra, a mulher que me fez sim apagar o passado de maneira que me visse próspero, guerreiro, forte, mesmo que eu tenha falhado em algum momento, humano.

    Mas você sabe, o quanto lutei, o quanto passei de sofrimento, mesmo jovem, paguei por erros e decisões bobas que tive na vida e eu sei, que Deus me presenteou quando nos aproximamos. Foi Ele me dizendo que agora era hora de paz do dia que te conheci até hoje, para que pudéssemos prosperar...

    Eu ainda acredito nisso Dele, mesmo com a dificuldade que passamos. É um pai tendo que acostumar com uma certa distancia do filho, um pai que lutou e sempre zelou por este filho e mãe, um pai que com todas responsabilidades esteve sempre na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza...

    Quero continuar, enquanto Deus me der força de levantar.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  7. Eu to passando por isso agora e olha... não sei o que fazer, Só sinto medo...

    ResponderExcluir
  8. Oi Thatá, fiquei tempo pensando no q escrever...pois seu blog me ajudou bastante, então de certa forma gostaria de contribuir com algo de bom, eu li este post logo q vc escreveu, mas não consegui escrever nda no dia, olha o post anterior vc estava tão otimista e feliz, passava essa energia para nós, espero q vc esteja melhor agora e que a tempestade tenha passado! Volte a sorrir e a escrever para gente, tenho certeza q muitos adoram passar por aqui, eu não sei o q aconteceu e tb não preciso saber, mas já passei por momento difícil e tive q escolher entre perdoar ou não, e vou te dizer q se ainda existe amor, o perdão é possível! Escolha ser feliz! Tente, sem tentar vc nunca saberá! Tenha uma ótima semana, já passei algumas vezes aqui, não sei se vai lembrar. Keila

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Keila! Claro q me lembro de vc sim e de seus comentários. Fico muito feliz com suas palavras de apoio. Fique tranquila q eu e Theo estamos bem, estamos nos adaptando a nova fase, tudo com o tempo vai se arrumando. Sobre perdão, no meu caso, não é tão fácil assim, mas apesar de separada, tenho uma boa relação com o pai do Theo e acredito q isso já é algo muito bom dentro dos acontecimentos ruins.
      Beijos e seja SEMPRE bem vinda por aqui!!

      Excluir
  9. Olá Thatá...

    Acabei de ler seu post e fiquei super comovida com a sua situação.Consigo entender bem o que você está sentindo e te digo de coração que você fez a escolha certa em sair de seu casamento.
    Uma coisa é você perdoar uma pessoa que é seu namorado,agora outra é perdoar seu marido,alguém que divide uma vida com você.
    Namorado é aquela pessoa que você não convive todos os dias,que ama,mas não está junto o tempo todo.Diferente de marido,que fez votos de respeito perante à todos.
    Se você o perdoasse e continuasse a viver com ele,aconteceria tudo de novo.Ele cometeria o mesmo erro(que não sei qual foi,mas imagino).E ai então vocês acabariam vivendo uma relação apenas de aparências,tipo casal que só está bem nas festas e nas fotos de família.E isso não te faria bem.Sem contar que a pessoa perdoa,mas não esquece.Então é melhor seguir em frente com seu filhote.
    E quanto a ser mãe,tenho certeza que você tem total condição para exercer a responsabilidade.
    Escolha ser feliz sempre!Se ame em primeiro lugar!E se um dia mudar de ideia com relação a sua situação,que seja para te fazer feliz.Esteja ao lado de pessoas que você ama!E tudo vai dar certo!Um forte abraço!Viviane.

    ResponderExcluir
  10. Aii me emocionei com tudo o que escreveste, nao sou muito de visitar blogs, e sem querer vim parar aqui, alias li o comentario axo que de seu ex marido... e me cortou o coração... Nao te conheço e muito menos sua familia, nao faço ideia do q tenha acontecido no teu casamento e como vc sou dura na queda... Mas meu coração tá apertado aqui, pois tbm tenho uma filha e por mais que meu marido me enlouqueça as vezes, ele é humano e erra tbm, assim como eu tbm erro.. Amiga Repense na decisao que tomaste... e por mais q esse erro esteja te incomodando, perdoe, de uma chance, de se apaixonar novamente pelo pai do teu filho, de ver o sorriso do teu filho vendo os pais juntos... uma familia junta nao tem preço.... Um forte abraço Marjore Agostini Lorenzzatto

    ResponderExcluir
  11. Chorei com sua história por ser igualzinha a minha. No meu caso, meu marido nos abandonou quando nosso filho completou um mês, por uma mulher mais velha que ele e cheia da grana...Esta sendo duro, fazem seis meses e criar um filho sozinha é complicado mesmo, fora a dor que uma separação traz. Rezo todos os dias que Deus nos ilumine que nos dê força para cria-los da melhor maneira possível.

    ResponderExcluir
  12. Olá Rochele Oliveira..

    Passei por aqui e vi seu comentário.Não se preocupe,siga em frente coma sua vida,trabalhe,curta bastante seu filhote e procure não ficar remoendo coisas do passado.
    Assim como seu ex-marido soube procurar algo que ele julga ser melhor pra ele,procure o que é melhor pra você também.
    Pense no seu filho,que depende muito de você,saia com suas amigas quando puder,dê um Up na sua autoestima.Se ame,se valorize,pense no seu futuro.Fique bem com você mesma.
    Um abraço.Se quiser,volta e meia passo por aqui,podemos nos comunicar mais.Um abraço.Viviane.

    ResponderExcluir
  13. nos maes solteiras somos guerreiras... e o mundo da muitas voltas... esses homens hoje podem estar por cima... mas o amanha poderemos ser nos...bjux

    ResponderExcluir
  14. Flor, estou passando pelo o mesmo que vc, porém no meu caso, eu e minha filha perdemos a disputa contra a bebida... me li no seu texto. É muito dificil vivermos tudo isso sozinha... só de pensar as lágrimas me descem pelo rosto. Minha princesa tem apenas 10 meses, estou desempregada... mas firme e forte na decisão que tomei. Tenho certeza que Deus não nos daria tamanho fardo se não conseguissemos carregá-los. Boa sorte a vc!!!

    ResponderExcluir
  15. Passei pelo mesmo que vc. Meu filho tinha 3 meses qdo me divorciei devido a erros e molecagem do pai. E me fortaleci , tirei uma força que não sabia que tinha pq eu tenho a consciência que tentei e nao foi por minha culpa de nao dar uma familia padrão para meu bebê. Eu divido o q meu filho faz com minhas amigas, meus pais , meu irmão e até meu namorado participa. Sim.. consegui um namorado rsrs. Claro que nao tem jeito de ser aquele namoro de viajar sem planejamento, tudo é bem planejado. Eu sempre fui chata para ter um relacionamento e tem caras q relamente não vão te curtir por ter um filho, mas ae vc ja se livra de quebrar a cara mais tarde. Se uma pessoa nao aceita e nem respeita a historia da outra realmente não vale a pena ;) . Te desejo força e muito amor. Foco no seu baby que as coisas se encaixam. Fiquem com Deus <3

    ResponderExcluir
  16. Nossa, vc parece comigo no jeito de falar, pensar e até o nome do filho é o msm, me vejo na sua história!

    ResponderExcluir
  17. Oi Thatá, fiquei tristíssima de saber da sua separação. Para começar porque sempre queremos ver a família de amigos felizes né? E porque minha irmã passou por isso e sei quanto é sofrido passar por algo assim ainda mais com filhos, mas saiba que com o tempo e com ajuda de familiares e amigos vai melhorando. Não posso dizer como é e se o que me dizem é verdade, porque nunca passei e espero nunca passar por isso e lamento muitíssimo por você ter passado!
    Como eu disse no outro post, logo você acha algo que te faça mais feliz que uma pessoa (como disseram acima procure o que é melhor para você! Se for uma pessoa vá atrás disso, se for ser feliz com seu filho, batalhe que logo logo melhora!) e que te deixará mais satisfeita do que qualquer relacionamento. Sei que o Theo e suas conquistas fazem você sentir falta dele, mas mesmo assim tente não ficar relembrando dos momentos bons ou ruins, passado é passado e temos que deixar para trás e só relembrar o que nos faz bem hoje.
    Beijos e de tempo ao tempo, um dia ele irá se arrepender dos erros deles e você estará em uma bem melhor, sem se magoar com ele, com você (sempre nos culpamos um pouco, e é normal, só não vai achar que a culpa é totalmente sua) e com o ex-relacionamento de vocês.

    ResponderExcluir
  18. Me vi em cada palavra.. até nos choros imaginários. Até hoje ouço!
    Fico muito triste ao ver que minha filha, já com 3 anos, não possui nenhum traço de personalidade do pai.. nada mesmo, mas fisicamente, é a xerox reduzida! rsrsrs
    De tudo, do que mais tenho medo é dela crescer se sentindo preterida pelo pai, não conseguir estabelecer uma relação de confiança com ele e com os homens na vida adulta..
    Deus nos ajude nessa missão!!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  19. Essa mesma historia se repeti comigo e é muito doloroso mas com FÉ em DEUS tudo vai passar e saberemos criar essa crianças! a minha filha hj tem 3 meses de idade e quero que ela cresça sem frustaçoes pelo abadono da familia pelo pai,pai nao palhaço!!!

    ResponderExcluir

E você? O que pensa sobre isso?